29 abril 2011

Coisas que me Encantam

Volto a falar  do Antônio Bernardo, designer de jóias carioca.  Cada vez que vejo um produto seu fico  boquiaberta pela delicadeza, beleza, sensibilidade, acabamento.... Não, não sou paga prá elogiar o trabalho dele, não, até porque ele nem precisa disso e nem o conheço pessoalmente. É que amo de paixão tudo o que ele cria. Acho que traduz o meu gosto de forma tão contundente que fico sem palavras. É tudo muito simples, delicado e marcante ao mesmo tempo... só vendo, apreciando, admirando  e desejando que chegue  o dia que poderei ter uma delas em meu acervo pessoal.
Alguns exemplos só  prá  encantar.....

Bracelete Lightning
Brincos Pingo de Chuva

Colar Luminoso

Anel Balanço

Anel Love You

Anel River

Bracelete Íntimo

Brinco Entre


28 abril 2011

Jóias na Decoração

Algumas peças tem a capacidade de complementar tão bem um espaço que chega a me emocionar. Nem sempre precisam ser estravagantes ou ter um desenho diferenciado. Devem apenas ser colocadas num ponto estratégico... sabe aquela jóia que a gente coloca por último, ao se arrumar para um evento e que dá um plus especial ao traje  iluminando  o rosto, a roupa, enfim fazendo surgir um largo sorriso no olhar e nos lábios?
 É disso que falo....  E entre as   peças com tal capacidade destaco as luminárias. E para ilustrar vejam as imagens abaixo: dá para imaginar os espaços sem elas? Não ficariam incompletos? A última imagem, que não está inserida num ambiente, faz a gente desejar decorar um ambiente infantil só para inserí-la, não é certo? Sou apaixonada por ela.






19 abril 2011

Ainda sobre berços....

Vejam esses reversíveis que  acompanham os pequenos por muito tempo.
Um investimento que vale.
Agradam papais modernos e clássicos...
Boa inspiração, não acham?








18 abril 2011

Para as futuras mamães, vovós, titias, madrinhas.....

Olha só que linda essa linha de móveis para bebês. São bonitos e muito funcionais com bom aproveitamento de espaço. Lindo de se ver e  se ter.... Ótima solução para espaços compactos.





08 abril 2011

Cuidados com o porcelanato


Cuidados na manutenção do porcelanato

Piso de porcelanato
Shutterstock
Embora seja um piso altamente resistente, o porcelanato não tolera o uso de substâncias abrasivas, pois danificam o esmalte e o rejunte, tornando sua superfície porosa, mais suscetível a manchas. 
 Não utilize na limpeza do piso:
  • sabão em pó;
  • ceras e produtos para realçar o brilho;
  • escovas abrasivas;
  • qualquer espécie de ácido;
  • produtos multiuso e detergentes fortes que possuam ácidos em sua composição;
  • soda cáustica.
Uma limpeza simples, usando água e detergente neutro, é o bastante para deixar seu piso de porcelanato brilhando.

Reaproveitamento de material


Interessante  e   criativo  e    útil.
Luminárias feitas com canetas esferográficas




07 abril 2011

Só prá lembrar...


Diferença entre Porcelanato e Cerâmica
A diferença entre os pisos cerâmicos e porcelanatos é uma dúvida bastante comum, dadas as semelhanças entre os materiais. Ainda que não seja exatamente uma novidade e possa ser encontrado em qualquer loja de material de construção, muitas pessoas ainda desconhecem o revestimento. Há cerca de 20 anos, no início da década de 1990, surgiu no mercado brasileiro o porcelanato, importado da Itália. Rapidamente, tornou-se sensação no mercado por apresentar resistência mais alta do que a cerâmica comum e homogeneidade muito grande em suas peças, além de cortes com acabamento superior.

Junto com seu surgimento muitas lojas nas grandes cidades brasileiras se dedicaram quase que exclusivamente ao comércio de porcelanatos importados (apenas em 1995 foi inaugurada a primeira fábrica brasileira do material). Já os revestimentos cerâmicos sempre foram muito comuns no Brasil. Desde a colonização portuguesa ele  é utilizado. Antigamente, era realizado em produção artesanal e, com o passar do tempo, foi ficando cada vez mais industrializado e utilizado em larga escala.

Nos anos 1940 e 1950, por exemplo, Portinari e Athos Bulcão realizaram magníficas obras de arte com cerâmica artesanal em conjunto com a arquitetura modernista, propostas por nomes como Oscar Niemeyer e Rino Levi, demonstrando as infinitas possibilidades deste material, totalmente em sintonia com a arquitetura mais avançada da época.


A diferença fundamental entre o revestimento cerâmico e o porcelanato está na tecnologia que existe por trás da manufatura destes produtos. O porcelanato possui um processo tecnologicamente mais complicado e um resultado mais controlado do que a cerâmica comum. Ele é feito com uma mistura de porcelana e diversos minerais, passando por uma queima a mais de 1200 graus Celsius.

O resultado é mais homogêneo, muito denso, vitrificado e mais resistente do que as cerâmicas convencionais, além de ser menos poroso e, portando, ter um índice de absorção de água muito baixo. Sua durabilidade é realmente excelente por conta disto. Isso o torna adequado a locais com alto tráfego, como aeroportos, estações ou shopping centers. Mas isso quer dizer que o porcelanato é sempre melhor do que a cerâmica? Definitivamente, não.

O porcelanato é um material com tecnologia mais avançada e, em geral, possui maior resistência e durabilidade e permite rejuntes menos espessos. No entanto, as cerâmicas são muitas vezes mais charmosas e com um acabamento mais interessante do que o porcelanato. O resultado estético está além das qualidades técnicas do produto e depende do padrão da peça, do tamanho, dos rejuntes e de como o material se harmonizará no ambiente em que será aplicado.

Existem belíssimas cerâmicas artesanais, rústicas, e existem empresas especializadas em realizar estes produtos, que muitas vezes são bastante caros. Embora inferiores em relação as suas características de conservação, a própria cera, aplicada periodicamente, aumenta o charme deste revestimento.

A verdade é que um produto não chegou para substituir ao outro, mas, sim, para se somarem às muitas possibilidades existentes na construção civil: ambos podem ser utilizados em revestimentos de paredes, prédios, pisos e até calçadas, sempre observando suas características técnicas quanto à resistência, abrasão, impermeabilidade, rejunte etc. 

04 abril 2011

Iluminando sua casa


TÉCNICAS BÁSICAS

Decorar uma residência não significa apenas comprar móveis e objetos e distribuí-los pelos ambientes. A decoração de uma casa exige também um projeto bem elaborado de iluminação para destacar e valorizar os móveis e objetos. Por isso, antes de começar a pendurar lustres no teto, é preciso definir qual será a utilização de cada espaço, se é para trabalhar, ler, relaxar, dormir.
A luz central de um ambiente deve ser a mais forte, mas é interessante instalar luzes periféricas como auxiliares, como spots, arandelas, colunas, abajures. Os abajures são essenciais em ambientes mais aconchegantes, como o quarto. Os spots, que produzem uma iluminação direcionada, são usados para leitura e iluminação de objetos, como quadros.
 Pequenos detalhes fazem a diferença porque dão conforto visual e deixam os ambientes mais agradáveis: uma luz refletida na televisão, uma sombra durante a maquiagem ou a barba são incômodos que podem ser evitados apenas com a colocação correta de um spot, por exemplo.
Também deve-se levar em conta o material e as cores de luminárias, porque eles podem refletir a luz e atrapalhar a iluminação.
 Para quem gosta de ler é importante que a luminária fique atrás e um pouco acima do leitor com o foco no livro. 
Já na sala de TV, a dica é iluminar suavemente a parede atrás ou em volta do aparelho para que a luz não reflita na tela.
Para as casas com pé direito baixo, as luminárias em estilo coluna iluminam de baixo para cima e dão impressão de que a parede é mais alta. Os lustres com luzes para cima devem ser usados em tetos brancos para que a luz reflita e ilumine bem o ambiente.
A luz direta de um lustre central no teto cria um cenário homogêneo, que, apesar de menos interessante, é necessário para ocasiões de cerimônia. Lâmpadas embutidas em sancas, abajures e arandelas são recursos para criar um jogo de luzes indiretas, adequado a uma conversa entre amigos ou para a hora do relax. 
Spots e luminárias dão destaques a certos objetos. 
Sobre a mesa de jantar a luminária deve ficar a uma distância entre 70 e 90  cm do tampo da mesa.
A cor (tonalidade) da lâmpada também influencia no conforto. As lâmpadas fluorescentes podem ser produzidas nas tonalidades amareladas, azuladas ou neutras e cada uma delas têm sua propriedade. A branca-amarela é indicada para quartos e salas, já que remetem a conforto e aconchego e passam a sensação de tranqüilidade; a branca-azulada é indicada para banheiros e cozinhas, pois passam uma sensação de limpeza e frescor e mantêm as pessoas mais ativas; e a branca-neutra torna os ambientes claros sem interferir nas atividades exercidas no local.